Revisão tarifária da Elektro (SP)

Revisão tarifária da Elektro (SP)

Foi aprovado no último mês o índice final da revisão tarifária periódica da distribuidora Elektro Eletricidade e Serviços S/A.

Para os consumidores residenciais (Classe B1) haverá um reajuste de 0,84% na tarifa.

A nova tarifa entrou em vigor no dia 27/8 para 2,4 milhões de unidades consumidoras localizadas em 223 municípios de São Paulo e cinco de Mato Grosso do Sul.

Índices médios de baixa e alta tensão:

Tabela

O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

A revisão tarifária, aplicada em média a cada quatro anos, está prevista nos contratos de concessão das distribuidoras e tem por objetivo obter o equilíbrio das tarifas com base na remuneração dos investimentos das empresas voltados para a prestação dos serviços de distribuição e na cobertura de despesas efetivamente reconhecidas pela ANEEL. No processo de revisão da Elektro, também foram aprovados os limites de *DEC e **FEC da distribuidora para o período de 2016 a 2019.

*Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora - DEC -Intervalo de tempo que, em média, no período de observação, em cada unidade consumidora do conjunto considerado ocorreu descontinuidade da distribuição de energia elétrica.

** Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora – FEC -Número de interrupções ocorridas, em média, no período de observação, em cada unidade consumidora do conjunto considerado.