BANCO DE CAPACITORES | MF CAPACITORES - LIMEIRA/SP

Governo prevê R$ 6 bi para setor elétrico no Amazonas

O governo federal, o Ministério de Minas e Energia e a Eletrobrás investirão R$ 6 bilhões no Estado do Amazonas, no período de 2015 a 2018. O investimento consta no Plano de Expansão e Melhorias do Setor Elétrico do estado. As obras previstas vão abranger a capital e interior do Estado.
 
Com os novos recursos, está prevista a construção de novas usinas, a integração de novos municípios ao Sistema Interligado Nacional (SIN), a criação de novas linhas e subestações, instalação de novas redes de distribuição, e a expansão do Programa Luz para Todos.
 
O objetivo do plano é proporcionar à população amazonense o acesso à energia elétrica com qualidade e confiabilidade. Para isso, também será aprimorada a gestão da Eletrobras Amazonas Energia, modernizando seus processos e garantindo um atendimento de qualidade a todos os seus consumidores.
 
Outro ponto que será trabalhado pelo governo no setor elétrico do Estado do Amazonas é a integração regional ao Sistema Interligado Nacional. Isso vai aumentar a segurança energética aos consumidores amazonenses e, principalmente, aos futuros investidores da indústria e do comércio da região. 
 
Interior

Para desenvolver o setor elétrico no interior do Estado do Amazonas, o principal desafio do governo federal é incrementar melhorias nos municípios de Humaita, Parintins, Itacoatiara, Nova Olinda do Norte, entre outros. Somente o sistema de transmissão Oriximiná-Juriti-Parintins representa um investimento de mais de R$ 760 milhões.

A geração de energia distribuída no interior do Estado será garantida por meio de grupo geradores próprios e locados, além da implantação de novas usinas com Produtores Independentes de Energia.

Nas bacias dos rios Solimões, Juruá e Japura serão construídas 33 usinas, totalizando 158 MW de potência instalada. Os investimentos estimados são da ordem de R$ 662 milhões.

Nas regiões do médio Amazonas/Negro, baixo Solimões/Purus e no rio Madeira, serão construídas 47 usinas, com 150 MW de potência total instalada. Nesta fase do Plano de Obras estão estimados investimentos da ordem de R$ 600 milhões.

Nas comunidades isoladas, serão implantados novos sistemas solares e redes de baixa tensão, com previsão de 14.500 novos sistemas e beneficiando cerca de 72 mil pessoas em 55 municípios contemplados. Os investimentos previstos são da ordem de R$ 860 milhões.

Fonte: O EMPREITEIRO